sexta-feira, 11 de março de 2022

É cada provação no caminho da IF...

 E aí pessoal, tudo bem?

Vou tirar uns diaszinhos para descansar e estava aqui pensando na quantidade de provações que temos que superar para poder chegar no grande momento FIRE/IF. Segue um pouco do que andei refletindo: 

 

1) Ao longo do caminho, você se transforma. 

É inacreditável como os planos vão mudando conforme os anos vão passando. Você começa achando que X milhões vão ser suficientes, depois você percebe que na verdade a corrida dos ratos vai virando mais uma caminhada conforme você passa a depender cada vez menos do seu salário. E que talvez, a rotina do trabalho te faça bem sem tanta pressão para aumentos salariais ou até de manter o emprego. E se você não tem essa pressão, no fim você performa melhor, se dá melhor com seus pares e líderes e vive em harmonia no ambiente do trabalho. Mágica né? Mas é isso que tenho sentido. 

Eu comecei essa jornada querendo ser 100% livre do trabalho. Eu não queria nunca mais trabalhar na vida. Me transformei. Vejo hoje que algumas amizades no trabalho são bacanas, que o trabalho de fato enobrece e traz realização e que sem a pressão para permanecer nele, é capaz até que eu permaneça e me dê melhor. rs. Muito doido.


2) Aproveitar o caminho é necessário

Fazer aquela viagem que você quer. Comprar aquele apartamento que vai te trazer prazer e tranquilidade. Fazer uma loucura do ponto de vista financeiro. Claro, as extravagâncias só devem ir aumentando conforme o seu patrimônio também aumenta. Mas todas elas são necessárias. Necessário pra você ver que a jornada está valendo a pena e também para você ir sentindo o gostinho do que é ser livre lá no futuro. E obvio, ninguém está ficando mais novo, então aproveitar enquanto a juventude está aí também é importante. 


3) Os obstáculos/provações vão ser inevitáveis

Eu jamais pensei que ao longo da jornada iria enfrentar selic a 2%, quedas absurdas na bolsa com circuit breakers seguidos, pandemia e, agora, guerra. Inflação batendo recordes? Sim. 

Podemos olhar isso por 2 prismas: o caminho está muito mais árduo do que eu poderia imaginar. Como investidora, quando penso que "agora já entendi deste ciclo", na verdade vejo que não entendi é nada, porque tudo muda novamente. Por outro lado, estamos tendo a oportunidade de aprender a sobreviver em cenários de caos. Isso é super importante e eu me pergunto como estaria vivendo de renda hoje, se eu não tivesse meus aportes? No fim das contas, o caminho está me preparando para o futuro e também está me fazendo refletir se meu planejamento está certo. 

 

E vocês, que tipo de reflexões tem feito ao longo dessa jornada?

Abs, 

IFM

17 comentários:

  1. Pensar nos obstáculos à frente pode ser um pé no s... Mas infelizmente a realidade nos obriga a fazer isso. Confesso que, por muitas vezes fico desanimado, principalmente levando em conta aspectos pessoais como quando você não está satisfeito com seu salário, quando não encontra uma maneira de ganhar mais, etc. Mas já passei por tanto nessa vida que estou acostumado com esses picos e vales. Prefiro manter a visão naquilo que e mais provável de acontecer e ir planejando conforme as coisas andam... Nem sei se isso é o melhor a se fazer. Mas é assim que sigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PR, na verdade a gente tá sempre insatisfeito. Quem está 100% ok com tudo? ou com quase tudo? Vai atrás do melhor salário que você pode e faz por onde pra fazer rentabilizar...aos poucos a bola de neve vai fazendo efeito e você vai relaxando.
      Abs

      Excluir
  2. O problema é quando a pessoa do seu lado tem uma mente "financeira" totalmente diferente da sua...... esse é um problema e bem sério!!!

    ResponderExcluir
  3. Tenho refletido bastante sobre o 2º ponto. "Do que adianta viver como pobre e morrer como rico?" É fundamental focar na jornada e não no objetivo final.

    https://ficandotranquilo.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim FT, cada ano é precioso, precisamos viver. Quando mais jovens não pensamos nisso, mas é preciso!!

      Excluir
  4. Sem duvidas, e ainda enfrentar sozinha esta jornada já que 99.999999% das pessoas no seu meio não estão nem ai para poupar e investir e só querem comprar e comprar e gastar e farrear...

    ResponderExcluir
  5. É triste ver como não conseguimos manter um período de estabilidade política e econômica por muito tempo...Tudo bem que a guerra gerou efeito inflacionário no mundo todo, mas podia ter uma folga agora no "final" da pandemia...Mas vamos lá...mais um ano no Brasil...

    ResponderExcluir
  6. Em momentos de tensão como o atual e onde tudo parece uma grande perda de tempo, quando sua carteira só está caindo e nenhum ativo parece funcionar como um porto seguro é que gosto de parar e olhar para trás.

    Olhando o caminho que já percorri me sinto mais confiante em seguir firme na jornada e enfrentar o mar agitado.

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir
  7. Imóvel pra locação é um ótimo investimento no que ele se propõem a oferecer, estabilidade e solidez.

    A minha reflexão é sempre a mesma, investir em Imóvel e renda fixa. Pra mim não interessa se a selic estiver a 1% ou a 20%. É focar no trabalho, saúde e ter aportes regulares, buscando sempre aumentar eles.

    Jamais vender patrimônio, não girar. Sem rolo de vender um imóvel pra pegar o dinheiro e aplicar na renda fixa porque a selic subiu.

    Ou então, pegar a grana da renda fixa e comprar um imóvel porque a selic desceu e o aluguel vai dar mais retorno.

    Renda fixa não gera renda, pois o principal nunca valoriza. É só pra tentar não perder da inflação. Já sei que nunca vou viver de renda de investimentos, porque pra mim, investimento nenhum gera renda, nem imóveis alugados, nem ações, nem fii, nem RF.

    Só focar no trabalho, esse é o verdadeiro gerador de renda pra mim.

    É isso.

    ResponderExcluir
  8. conclusões parecidas com as suas, ainda estou no começo da minha jornada mas a cada dia que passa percebo que essa ilusão do "viver de renda" fica cada vez mais distante e o que passa a fazer mais sentido é o sentimento de poder em tese escolher trabalhar ou não uma vez que vc tem patrimônio para não depender exclusivamente do trabalho, isso de fato traz tranquilidade, autonomia e te deixa livre pra fazer planos e viver com certa previsibilidade financeira. Esses movimentos de altos e baixos não me incomodam, eu sigo comprando, e sempre vai ter algo acontecendo pra gente se preocupar, o segredo é diversificar e seguir com a vida, dando um passo de cada vez. Enfim, a jornada é mais importante que o objetivo em si. um abs.

    ResponderExcluir
  9. Olá!!
    Sempre, primeiro, parabéns pela maravilhosa jornada!
    Uma dúvida é a seguinte:
    como é a alocação do seu dinheiro na RF. Considerando que o FGC só cobre 250 mil reais, onde está alocado o restante do seu dinheiro na RF? Só em Tesouro Direto?





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só uma correção. O FGC cobre até R$ 1 milhão. São até R$ 250 mil por CPF e por instituição em um limite Global de R$ 1 milhão por CPF. Então dá para ter 250 mil garantidos no Banco A, 75 mil no Banco B, 140 mil no Banco C, etc. Até que a soma chegue a um milhão.

      Excluir
  10. Nasci rico, mas, como adorava eletrônica, arranjei um emprego de peão em uma indústria de equipamento eletrônicos de entretenimento. Selecionei esta empresa devido ao tipo de equipamentos, proximidade de casa e facilidade de estacionamento. Em um ano, de peão passei a diretor geral da fábrica. Nesta posição, permaneci mais um ano aprendendo tudo que podia dentro desta indústria e após sair, criei uma minha tentando aparar todas as arestas que eu via na que eu havia trabalhado. Após 10 anos a vendi para um grande grupo e parti para outro ramo. A lição aqui é que, realmente, trabalhar sem precisar lhe trás um enorme prazer e grande possibilidade de sucesso. Estou com 65 anos e iniciei há poucos anos outra empresa em uma área em que nunca havia atuado antes e me divirto muito com ela. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma coisa que eu queria. Trabalhar sem precisar. Não quero ficar sem trabalhar, mas estar seguro de que se eu errar na opção que fiz, posso tentar outra sem ter que me preocupar tão absurdamente no futuro. O que fiz nos últimos anos foi tentar isso, mas pelo jeito tentei da maneira errada, como sempre tenho feito.

      Excluir
  11. Os anos passam as pessoas mudam mas os projetos tem que continuar o mesmo

    ResponderExcluir

Obrigada por tornar esse espaço um lugar fértil para troca de idéias! =)