quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Desapego: experimente você também!

E aí pessoal, tudo bem?


Em alguns posts atrás eu acabei comentando com vocês da minha mania de economizar em tudo, que vem desde quando eu era bem pequena. Isso fez com que eu ficasse muito apegada às poucas coisas que eu tinha e que inclusive me fazia ser muito apegada a bens materiais.

Ao crescer e conseguir comprar mais coisas, eu continuei com esse "modelo mental". Fato é que hoje ainda é muito difícil para eu desapegar de bens materiais e desde o ano passado eu venho seguindo blogueiras que falam sobre minimalismo e vida mais leve.

Comecei a mudar meus hábitos, a usar com mais frequência tudo que ganho e compro e isso foi um enorme passo, de verdade. Pensar que eu sempre guardava o melhor para poder usar depois e hoje quando ganho ou compro algo já saio usando (e aproveito muito).

Pois bem, um dos meus outros objetivos de desapego é doar coisas. Não venho só fazendo um esforço em usar o que eu tenho, mas preciso também aprender a desapegar do que eu não usei e não usarei mais ou até do que eu usei e já não gosto mais / não me serve mais.

Nos últimos dias me dediquei a isso. Abri uma das portas do meu armário e reorganizei gavetas, cabides, roupas em geral. É INCRÍVEL a quantidade de roupas que nós, principalmente mulheres, acumulamos e compramos e no fim sempre usamos a mesma roupa. Coloquei um objetivo para mim mesma: usar uma roupa diferente o mês de dezembro inteirinho, sem repetir. Eu tenho roupa para isso, mas sigo sempre usando as mesmas coisas.

Resultado dessa primeira "limpa" foi que eu consegui juntar 2 sacolas para doação. Esse gesto me faz tão bem e eu faço tão pouco. Precisamos deixar nossa vida mais leve e ajudar as pessoas a nossa volta é uma ótima maneira de desapegar sem peso, pelo contrário, com uma alegria enorme no coração.

Minha reflaxão nesta quarta-feira é sobre isso: seja você homem ou mulher, dedique algumas horinhas de algum dia mais tranquilo que você tenha para organizar suas coisas. Se você acumula dinheiro, é bem provável que acumula também bens materiais como eu. Se livre daqueles que já não podem ser mais usados (vencidos) e doe aquilo que não te serve mais (roupas).

Além de fazer bem ao próximo, você abrirá espaço para o novo, abrirá espaço para você enxergar o que você tem hoje (quando acumulamos muito mal podemos ver o que temos) e fará inclusive a energia circular (estou cada vez mais acreditando nessas coisas).

E você, como vem se preparando para 2019?

Abs,
IFM

sábado, 1 de dezembro de 2018

Fechamento de Novembro/18 - R$ 1.135.752,34 (+ 3,04%)

 E aí meus amigos, tudo bem?

Mais um mês acabando e hoje estamos oficialmente a 1 mês de 2019. Já começamos a nos planejar e fazer um balanço deste ano que está acabando, não é mesmo? Gosto de fim de ano.

Do lado das finanças, bolsa deu uma bela recuperada, o que fez com que eu ficasse menos negativa. Consegui aproveitar umas boas taxas na black friday o que vai me ajudar a garantir uma boa rentabilidade em 2019 e até 2020. Gastei um pouquinho além do devido e levarei as parcelas no próximo ano comigo. rs.

Este foi o mês que tentei aumentar minha frequência em exercícios e que também peguei meu novo pet. Bem diferente da anterior, estou sofrendo um pouquinho com ele neste início.

 Vamos aos números agora:

Aportes: R$ 25.298,00 - Aporte pesadíssimo graças ao 13º (primeira parcela) e a uma pequena renda extra.

Rendimentos: R$ 8.180,12 (representam 0,74%) -  Para um mês com 3 dias úteis jogados literalmente no lixo em termos de investimentos (feriado), foi ok. Tivemos alguns pequenas valorizações importantes na Smiles e Ezetec. 

Total de crescimento do portfólio em Novembro: R$ 33.478,12 (+ 3.04%) - Número enorme. Quase um carro 0km básico. Muito, mas muito bom mesmo. 

Renda Passiva (utilizando a TSR de 4%): R$ 3.785,84 - Subida de 111 reais versus mês anterior. Que alegria, que alegria meus amigos!

Onde apliquei neste mês: Renda Fixa. LCA e LCIs de bancos pequenos, com taxas de 100% do CDI a 102%.

Relação RV vs RF: com as valorizações e distribuição de novas ações (Itaú), estou com quase 7% do meu portfólio em RV (6,8% para ser mais exata).

Como eu estou com relação à minha meta do ano (1,05kk - atingida. Nova meta: 1,15kk): Faltam menos de 15.000 reais para chegar na minha segunda meta do ano. Dificilmente não vou atingi-la e digamos que tenho grande chances de ultrapassá-la com folga e louvor. =)

 Dezembro será um mês de grande correria, com fechamento do ano no trabalho e planejamento do próximo ano também. As mudanças que eu já tinha previsto no mês anterior que seriam intensas de fato estão sendo e tudo leva a crer que continuarei com foco grande em trabalhar para me consolidar neste momento de transição.

Também quero aproveitar este último mês para me organizar em casa (armários, principalmente), organizar minhas metas de 2019 (tudo leva a crer que o foco será em saúde no ano que vem) e quem sabe planejar também minhas curtas férias de 2019.

Vamos que vamos pessoal, ainda faltam 30 dias para o ano terminar e será uma grande chance de dizer que 2018, apesar dos pesares, valeu a pena!

Abs,
IFM

sábado, 24 de novembro de 2018

Resumo da Black Friday

E aí meus caros, estão sobrevivendo à enxurrada de promoções?

Vamos ao resumo da minha semana:

  • Aportes de Outubro e Novembro investidos em LCA e LCI do Sofisa a 100%, 101% e 102% do CDI
  • 1250 reais em compras sendo:
    • 900 gastos em cosméticos que amo (descontos de 15% a 40% em média).
    • 350 reais gastos em um dos itens de uma das minhas viagens do ano que vem (desconto de 50% real) .
    • Maioria parcelados em 9x ou 10x sem juros. 

Então é isso né pessoal, compras feitas, agora é passar os próximos 9 meses lembrando delas e dando uma segurada na vontade de gastar nos próximos meses. Afinal, lembram do meu casaco de couro? Ainda faltam 3 parcelas para terminar de pagaá-lo! rs

E não, não me considero endividada por ter parcelas no cartão, pago meu cartão 100% todos os meses, apenas chamo de uma saudável provisão aproveitar para adiar pagamentos enquanto o seu dinheiro rende e até recupera parte do valor gasto.

Abs,
IFM

ps.: até o fim do final de semana libero os comentários do último post. 

sábado, 17 de novembro de 2018

Ação da Alegria: Itaú!

É isso aí pessoal!

Acordo hoje com uma bela cartinha do Itaú comunicando que as ações do Itaú Unibanco serão desdobradas e receberei um incremento de 50% da quantidade que eu detenho das ações.

A distribuição será feita no dia 26/11, com base na minha posição do dia 19/11. Eles ainda destacam que os dividendos serão mantidos no mesmo valor por ações, esclarecendo que os valores pagos mensalmente serão incrementados a partir de 02/01/2019.

Nada mal para um belo sábado de manhã não?

Só me arrependo de não ter mais ações, tenho uma quantidade relativamente pequena desse ativo. Mas com certeza ajudará e muito a eu recuperar parte das perdas com Multiplus e Smiles. Agora dá para entender porque o setor bancário é o grande queridinho dos investidores em ações.

E você, tem ITUB3 ou ITUB 4 na sua carteira? Meus parabéns meu caro!!!

E é com esse sorriso de ponta a ponta que me despeço, tudo leva a crer que teremos um bom fechamento em novembro de 2018! =)

Abs,
IFM

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Investimento de Tempo x Retorno

E aí, pessoal, tudo bem?

Véspera de feriado, aposto que teremos - 50 visualizações neste post hoje! rs.

Esta semana foi bastante marcante para mim. Uma grande amiga descobriu que está grávida e fez com que eu parasse um pouco para pensar no que vale de fato a pena nesta vida. Por isso, trago este pequeno texto de reflexão.

Tudo começou analisando meu portfólio. Fim de ano faz com que a gente reflita muito sobre o que fez. Início de ano eu estava predominantemente posicionada em RF. 99% dos meus dinheirinhos. Pois bem, aí começou à caça à bons ativos de RV e com uma estratégia mãe de: receber bons dividendos.

Meu grande case de sucesso na RV tinha sido 1 ativo de fundo imobiliário que felizmente havia se valorizado muitissimo (já se desvalorizou) e ainda me pagavam os alugueis. Que mais eu queria? Ações com dividendos.

E foi aí que eu cheguei nas minhas queridas Ezetec, Smiles e Multiplus. O que aconteceu com as 3 ao longo do ano? Se desvalorizaram. Muito. Extremamente. Ezetec felizmente parece querer tomar fôlego e se recuperar. Multiplus já anunciou OPA e estou só aguardando para poder vender à míseros 27 reais, quando eu paguei bem mais que isso.

O pior mesmo foi amargar mais de 50% de desvalorização de Smiles. Esse número segue ao redor disso, às vezes há alguma valorização surpresa, mas ela logo volta a cair. de 77 reais a quase 30, é isso que temos para hoje.

Lógico, nem tudo foi "terrível". FIIs continuam me dando alegrias, alguns mais, outros menos. Algumas ações me dão alegrias e se mostram fortes ao longo do tempo, com potencial de darem bons frutos no futuro.

Mas a provocação que quero fazer aqui é: vale a pena? Vale a pena ler por horas, assistir videos, estudar tanto e às vezes, mesmo aqueles mais estudiosos erram. Às vezes tem uma surpresa de mercado e somos colocados num patamar super negativo. É pra isso que estamos todos aqui?

Eu particularmente não cheguei a me dedicar tanto para escolher esses ativos. Estudei um pouco sim, mas sei que tem pessoas que estudam muito mais. Mas ainda assim, o quão dispostos estamos nós em investir tanto tempo precioso das nossas vidas para escolher 10 ativos e sei lá, errar em 3 deles?

O que quero propor aqui é nada mais que uma reflexão. E aí me vem à cabeça as famosas ETFs. O post do Viver de Renda com um guia básico me deixou bastante pensativa sobre as ETFs. De fato elas são, na minha opinião, a forma mais rápida, direta e menos arriscada de investir na RV. Sempre fui resistente a elas porque os dividendos foram os que sempre me atraíram.

Mas quando a gente acha que sabe todas as respostas vem a vida e muda todas as perguntas. E se eu desencanasse de ações e focasse só em ETFs?

O que acham?

Abs e bom feriado!
IFM

sábado, 10 de novembro de 2018

Vale a pena ter conta em segmentos premium? Respondendo a um comentário

E aí pessoal, tudo tranquilo? Na paz?

Final de semana passado viajei e foi ÓTIMO. Foram 3 dias (com o feriado) de relaxamento e esvaziamento de cabeça. o que contribui muito para o meu equilíbrio mental. Toquei esta semana difícil (pelas mudanças na empresa que estou) de forma tranquila e segura. Com certeza se eu não tivesse "parado" e relaxado um pouco, estaria muito tensa nesta semana o que desfavoreceria nas interações com as pessoas novas que eu tive que ter. Pensem nisso.

Ações nesta semana andaram meio de lado no fim das contas, com uma leve queda (meu portfólio). Continuo uns 10k negativa em RV (em relação ao que eu investi) e se olharmos desde meados de Abril que foi quando meu portfólio na RV estava "completo", já tive muito positiva e já tive extremamente negativa (fundo do poço foi 16k). Então, vamos ver cenas das próximas semanas.

Indo agora ao tema que um dos anôns me perguntou em alguns posts: vale a pena ter conta em segmento de alta renda? Estamos falando de Itaú Personalitté, Santander Select, Bradesco Prime e por aí vai.

Antes de dizer um "sim" ou "não", vou contar um pouco da minha história nesse assunto. Eu sempre tive conta em um determinado banco. Desde muito nova. Logicamente era nele que eu ia guardando minhas economias quando criança, adolescente e por aí vai. Essas economias foram ficando maiores, até eu chegar a ter isenção do pacote do banco (TED e afins) no segmento mais simples. Isso eu ainda era bastante jovem.

Conforme comecei a trabalhar e acumular um patrimônio maior e salário maior, a gerente do banco me ofereceu para ir para esses segmentos premium. Eu sempre fui bastante "pé atrás" com essas coisas e recusei. Ela insistiu e me prometeu que eu jamais seria taxada, mesmo se minhas economias baixassem. Pedi para ela formalizar isso por email e ela o fez. Fui então para o segmento premium imagino que há uns 7 ou 6 anos atrás.

Há uns 3 anos atrás, o banco me ligou falando que a quantidade de investimentos que eu tinha não era suficiente para manter meu pacote de isenção, mas apenas 50% dele. Aí começou uma verdadeira batalha com o email que eu tinha formalizado da minha ex-gerente e a nova política do banco que tinha aumentado de 100 mil reais para 150 mil reais mínimos investidos para eu poder ter isenção.

Aí vocês me dirão: mas há 3 anos atrás você devia ter mais de 150k, porque não transferiu para o banco? Bom, como vocês sabem, a maioria dos meus investimentos está em RF e não possui nenhuma liquidez, ou seja, eu realmente precisava juntar 50 mil reais no bancão para conseguir isenção de taxas.

Quando digo isenção de taxas, estou falando de muita delas: manutenção de conta, TED e DOC, cartão de crédito (2). Facilmente daria uns 200 reais por mês (considerando só 2 cartões de crédito) ou até mais em gastos com o banco, no ano, estamos falando de uma passagem para os EUA ou Europa em taxas de banco.

Após a batalha com o banco, o email foi reconhecido, mas não foi totalmente aceito pela mudança de política deles - fiquem espertos com isso. Me deram 6 meses a mais de isenção, mas a partir do 7º mês eu passaria a ser cobrada. É complicado quando você tem todos os cartões de crédito da sua família com um determinado banco e de repente ele quer passar a te cobrar.

Sem pensar 2 vezes, eu saí economizando tudo o que eu podia para poder juntar os 50k na época em 6 meses. E consegui, graças inclusive a uns vencimentos de outros investimentos de RF. Investi o dinheiro todo em um fundo que na época, conforme o tempo ia passando, aumenta o % de remuneração. Ele começava como 80% do CDI (sério, olha isso), indo para 87% depois de 6 meses, 93% depois de 1 e meio, até chegar finalmente em 100% do CDI após 3 anos.

Meu dinheiro ainda está lá, já atingi esses 100% do CDI e o vencimento desse investimento é de 5 anos. Em 2020 ele vence e aí vou repensar o que farei, mesmo porque esse investimento nem existe mais e os que existem hoje começam com uns 70% do CDI (absurdo total).

Hoje, a minha vida está toda organizada para seguir nesse banco. Estou falando de cartões de crédito e benefícios do banco em geral. Não acho nada deles fundamental, os cartões finalmente estão me dando boas milhas e devo usá-las no ano que vem. No próximo ano também vou ter que começar a me planejar para "sair" dessa isenção.

Já fiz algumas contas e o que eu "perco" com um investimento que rende muito menos do que os demais, daria para eu pegar esse dinheiro (que convenhamos, não é pouco) e investir em coisas mais interessantes, pagando as taxas do banco e até pagando as anuidades dos cartões de crédito, me sobrando com folga uma boa grana para reinvestir.

O que vou decidir no próximo ano é se em 2020 me mantenho apenas em um banco digital (como Inter por exemplo, que meu deu até cartão black - esse sim uso até as salas vip do aeroporto) e fico contente sabendo que não pago nem 1 centavo para bancos, ou se eu me mantenho no segmento premium desse banco, mesmo sem investimentos e então pago todas as taxas devidas.

O que pesa a favor de um ou de outro:
  • Milhas: nunca usei, mas devo usar no próximo ano. Os bancos menores não tem programa de milha, logo, todos os gastos do cartão são apenas gastos (nunca foi um problema para mim, vamos ver se vou conseguir usar as milhas mesmo). 
  • Descontos em shows: às vezes rola aquele belo desconto. 
  • Previdência Privada: hoje tenho uma previdência do meu empregador que é depositada nesse mesmo banco (coincidência apenas). Aos poucos esse valor vai crescer até quem sabe, um dia, somar os 150k necessários hoje para isenção. Lógico que isso irá demorar um bom tempo, mas eu poderia ir diminuindo meus investimentos no bancão conforme o saldo da previdência aumenta. 
  • Desapego: honestamente, hoje não consigo ver nenhum outro motivo além de milhas para estar no bancão em segmento premium. Não uso banco físico praticamente, não vou em agência, quase não uso os benefícios e nunca usei milhas. Acho que às vezes é preciso mudar para ver que não é um bicho de sete cabeças não se manter no bancão. 

Conclusão principal pra mim é:não, não vale a pena ter conta em segmento premium. Se isso exigir um esforço enorme seu, perda de dinheiro (deixar uma grana nele para ter isenção de taxa, sendo que você poderia ter rendimentos muito maiores - como eu, burra, fiz há quase 4 anos atrás) e outros sacrifícios, os benefícios PARA MIM não compensam.

Sempre tem a possibilidade de você usar alguma renda de investimentos para pagar as taxas, mas hoje para mim, não vejo essa possibilidade como ganhadora. 

Vocês enxergam grandes outras vantagens ou desvantagens? Vamos discutir?

Abs,
IFM

domingo, 4 de novembro de 2018

Fechamento de Outubro/18 - R$ 1.102.274,22 (+ 2,41%)

Que mês meus amigos, que mês!



Outubro foi um mês verdadeiramente maluco. Muita coisa aconteceu. Além dos 2 turnos de eleições, tivemos grandes valorizações na bolsa de valores e eu tive 2 desvalorizações incríveis e importantes no meu portfólio: Smiles e Multiplus.


Essas 2 no caso já "eram". Multiplus não passará do valor atual e Smiles muito dificilmente se recuperará. Aqui é amargar 2 prejuízos importantes e esperar uma recuperação que "zere" minha posição nos outros papéis. É amigos, bolsa de valores brasileira não é para amadores. Não é para ações "mais ou menos". Para quem gosta de emoções, é um prato cheio. Eu não gosto.

Tive aquele problema de saúde que relatei no último post, mas já me recuperei. Tenho que me cuidar mais e melhor. Colocarei uma meta sobre isso para o próximo ano. Tive mudanças no trabalho também, com "novos chefes" chegando. Mais um período de provação chegando - incrível como o mercado de trabalho está dinâmico, sério.

 Vamos aos números agora:

Aportes: R$ 14.300,00 - Mantendo bons aportes ao longo do tempo, esse é o grande triunfo.

Rendimentos: R$ 11.666,07 (representam 1,08%) - Aqui foi a grande vitória. Há tempos que eu não tinha rendimentos tão altos (acima de 1% inclusive) e que poderiam ter sido muito maiores se não fossem as quedas bruscas de Smiles e Multiplus. Faz parte.

Total de crescimento do portfólio em Outubro: R$ 25.966,07 (+ 2.41%) - Grande número, fez com que eu ultrapassasse a barreira dos 1,1kk.

Renda Passiva (utilizando a TSR de 4%): R$ 3.674,25 - subindo 90 reais ao mês, é aquele almoço ou quase jantar que dá para bancar a mais todos os meses. rs.

Onde apliquei neste mês: fiquei parada neste mês, principalmente observando no que ia dar essas eleições. Estou com um dinheiro aplicado na poupança esperando as grandes promoções de black friday (promoções de investimentos).

Relação RV vs RF: permaneço com 6% do meu portfólio  em RV. Continuarei na RF por mais um tempo até que haja novas promoções.

Como eu estou com relação à minha meta do ano (1,05kk - atingida. Nova meta: 1,15kk): Deixei os 1,1kk para trás, finalmente! Agora é ir rumo à meta do ano. Faltando 2 meses para o fim, temos que manter os 25k de crescimento do portfólio nos próximos 2 meses. Com o 13º, acredito que eu consiga. 

Novembro já começou e já diferente. Aproveitei este feriado para viajar, colocar a cabeça no lugar, esvaziar a mente. Foi ótimo, 3 dias de ociosidade e zero de pensamento em trabalho. Adoro fazer isso de vez enquando e recomendo que vocês façam o mesmo. Teremos ainda mais 1 feriado neste mês, que vou aproveitar para pegar a minha nova pet! =)

As mudanças no trabalho começarão a aparecer neste mês, o que tudo indica que será mais um mês intenso do ponto de vista profissional. Essas mudanças/inícios são importantes para definir o rumo da carreira na nova empresa que estou.




Tudo se encaminhando para o final do ano, tudo indica que 2018 se consolidará como um ano de muitas mudanças: de emprego, de como eu enxergo minha saúde, de viagens, no amor e até mesmo na conquista do meu primeiro milhão. Sim, já estou em clima de fim de ano.

Abs,
IFM